28 de set de 2011

BALANÇO GERAL: Semana 7: "De prazer, levantou poeira..."

Nunca aprendi tanto quanto essa semana. Foi um exercício de paciência contínua... Morar em um lugar bagunçado, pra mim que, se pudesse, teria agendado hora e local para nascer, é mais que um sacrifício: é uma dor quase física.  Não dá pra explicar a felicidade de se achar um cortador de unhas em uma caixa onde deveriam estar os produtos de limpeza... É muito amor nesse encontro.

A verdade é que eu nunca soube conviver com a poeira e com as coisas fora de seu lugar e isso me tira do prumo. Aliás, nem vamos falar em prumada, que me lembra a aventura como síndico... Caso me encontrem grisalho e com os sapatos empoeirados, eu não envelheci e nem caminhei a pé por uma estrada de terra... eu moro num apartamento que é pura poeira, nada mais...

Mas voltando ao que aprendi, eu queria dizer que nesse exercício de conviver com a poeira e a bagunça, a gente vai percebendo que podemos ser nós mesmos (organizado, metódico e tal) mesmo estando no meio da confusão e  que abstrair um pouco dessas coisas nos faz evoluir mais do que em dois anos de terapia. Fato! É preciso encarar a vida de uma maneira mais leve, rir um pouco da tragédia. Eu fiz isso e pedia pra todo mundo que ia entrar no apartamento pra limpar o pé!

Depois, nessa semana, aprendi a separar o joio do trigo com relação aos vizinhos. Algumas pessoas esperam de você aquilo que elas não te dariam por motivo algum. Outras, parecem não te dar absolutamente nada, mas lhe conferem respeito, o que é mais do que meio caminho andado. Parece filosófico, e é. O que é uma poeira na sola de seu sapato quando se estabelece uma relação verdadeira com as pessoas, não?

O aprendizado mais simples foi o que eu já tinha ouvido muito antes de iniciar a reforma. Como aquele aluno que lê sobre o assunto, assiste às aulas, faz trabalho sobre, mas só vai se dar conta de que aquilo é verdade no estágio, eu pude comprovar que o tempo para pedreiros e todos esses profissionais da reforma é algo muito mais abstrato do que ele de fato o é para nós, humanos normais... As frases "até amanhã fica pronto", "amanhã a tarde termino isso", "já está acabando" e "falta pouco para terminar" tem um significado para nós, mas na cabeça deles é algo em torno de "blá, blá, blá, wiskas sachê".

Mas vamos aos avanços, que é preciso fazer um balanço:

O piso da cozinha foi assentado até onde deu. Na segunda (espero!) chegam as caixas que faltam e a varanda receberá o revestimento. As bancadas da cozinha foram todas assentadas. Ficou muito bom, de verdade!
A bancada do banheiro foi assentada e o resultado ficou melhor do que eu esperava. O Silas arrematou o revestimento e, como sempre, o trabalho ficou perfeito. Os spots do banheiro foram colocados. Agora é possível criar "três" ambientes no meu minúsculo banheiro, rs: há iluminação no box, sobre o espelho e centralizada. Ficou mara!

Nunca imaginei que o banheirinho fosse ficar tão bom e útil. Aquilo que seria um "apêndice" acabou se tornando a salvação da lavoura. A vista dos tijolos de vidro por dentro ficou bem bacana. Resultado: o banheiro ficou bonito, arejado e bem iluminado.
Essas fotos foram tiradas no domingo. De lá pra cá, embora sejam poucos, houve alguns avanços. Até sexta devo colocar novas fotos.

Um comentário:

  1. Adorei os avanços, e o tempo pra gente é diferente dos pedreiros também.
    Estou tirando foto do antes e depois, mas não tive coragem de criar um blog pra isso hehehe
    Mas minha reforma vai indo bem também.
    Sigamos!
    inté!

    ResponderExcluir