21 de dez de 2011

Balanço geral de mim mesmo...

Durante muito tempo, quando chegava meu aniversário, eu falava que ia fazer 16 anos. Isso aconteceu sempre, desde os meus 16 anos propriamente, até próximo dos 26, 27, que foi quando eu olhei pra mim mesmo e me perguntei quem de fato eu era. Alguns amigos já sabiam desse subterfúgio e riam de mim... Mas, na minha cabeça, ficar mais velho não era uma coisa tão simples...

A partir do momento que eu olhei pra mim (não sei se para o espelho, para o meu botão ou para o meu umbigo) e resolvi responder alto (mesmo em pensamento) o que eu esperava de mim, o meu modo de encarar a minha idade mudou bastante. Admitir minha idade hoje é algo muito importante pra mim. Quando eu resolvi responder essa pergunta, eu passei a fazer o que realmente queria (e isso significa seguir meu corpo, minha mente e meus sentimentos), decidi enfrentar a terapia e, principalmente, rever minha relação com meus amigos e, a ênfase aqui ainda é maior, a minha relação com a minha família.

Hoje eu tenho 30. Exatamente hoje eu tenho 30. De repente 30? Não. Não por acaso 30. É preciso força pra chegar aos 30 e entender se todos esses anos foram bem vividos. Não, eu não vivi esses 30 anos tão bem vividos. Eu procuro, diariamente, viver melhor os meus dias, para que eles façam meus meses melhores e, consequentemente, meus anos fiquem menos politicamente corretos, menos caretas, mais leves, menos metódicos, menos quadrados, mais agradáveis... Também não vou chorar o leite derramado...

E o que isso tem a ver com a reforma lá de casa? É que o "lá de casa" é fruto de uma independência sentimenal e financeira que eu conquistei. A reforma é uma mudança física do apê, mas também o é dentro de mim todo dia. A poeira que espalha, que entra pelos cantos, os canos aparentes, as infiltrações, as conexões elétricas... Isso tudo que ocorre, com tanta intensidade e sentimento, dentro da gente...

Com essa reforma eu me fiz melhor. Eu me construi e me conheci nos atrasos, nas contas pra pagar, no tijolo e no detalhe do revestimento... Detalhe...

Há trinta anos eu nascia. Mas nasço todos os dias de novo, quando me descubro diferente do que eu era há 30 segundos...

4 comentários:

  1. Leandro,

    parabéns pelo dia de hoje e por todos os dias!!! Bela casa, bela reflexão, aproveite as férias e a vida - todos os dias!

    Se 30 é bom, espere pra ter 40! É muito bom.. a gente fica cada vez mais parecido com a gente mesmo!

    Marília paiva

    ResponderExcluir
  2. Oi Leandro...
    Sempre leio, mas nunca comentei!
    Fiz 30 em agosto, e é a idade mais dificil... pelo menos pra mim foi. Parece que agora não tem volta, o que foi, foi. E parece uma virada de página, um marco, um (re)inicio.
    Parabéns por mais um ano novo na sua vida. Viva-o intensamente, e como se vc jamais tivesse tido 30 anos. E nunca mais terá!
    Beijinhos,
    Fer
    http://sonhosdecasal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Parabéns!!!
    E que bom que após esse balanço você poderá melhorar a cada dia.
    Eu sempre digo a minha idade e com orgulho hehehe vou fazer 37 anos em fevereiro de 2012.
    E minha casa também anda em reforma, resultado de uma independência repentina (o falecimento da minha mãe), e da independência financeira também.
    Olhando por esse prisma, ando me reconstruindo e de forma mutável.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Marília, quero curtir muito meus 30 pra ter motivos para comemorar os 40, 50, 60... rs

    Fer, não é a idade que nos define, acredite!

    Letícia, não sabia de sua mãe, que triste, mas siga sempre em frente, independente da idade, reforma interior sempre!

    ResponderExcluir